Blog de AE

“Depois vieram também Clara e Antônio
E muitos outros com entusiasmo e ardor.
E tão somente pela fé em Jesus Cristo,
Eles fizeram a revolução do Amor.”


Testemunhos de acolhida, convívio fraterno, reflexões e debates nos chegam de vários cantos do Brasil. Estes dias da nossa Semana de Promoção Vocacional pôde levar muitas fraternidades à reflexão da própria essência e vivência do carisma, sobretudo diante dos contextos que estamos vivendo. Foram dias de (re)encontros, congressos, partilhas, mutirões, retiros iniciais de etapas de formação e também, profissão religiosa e até ordenação sacerdotal de jovens que beberam desta fonte.

Tem sido prazeroso verificar também que muitas fraternidades conseguem abrir-se ao sopro dos ventos e inspirações divinas e com isso apresentam a outros/as jovens a simplicidade e alegria contidos em nosso carisma. E não podemos nos esquecer daquelas fraternidades de IMMF que conseguiram partilhar o carisma com as famílias das crianças e adolescentes.

Com grande louvor, podemos afirmar que a IV PROVOCAE alcançou parte de suas propostas iniciais, pois ainda temos a missão de ecoar nossa voz no Sínodo dos Bispos e para isso, reafirmamos a necessidade de preenchimento e envio dos questionários (em fraternidade e individualmente). Certos de que muitas fraternidades ainda realizaram suas atividades da PROVOCAE ao longo deste mês, prorrogamos o prazo para envio do questionário respondido em fraternidade para o dia 10 de setembro.


Que possamos nos inspirar em São Luís de França e assumir com singeleza e serenidade nossa firme vocação profética nesta caminhada de discípulos missionários.

PROVOCAE em Minas Gerais

Frat. Beleza Simples - Pesqueira/PE

Frat. Espírito Santo - Mossoró/RN



Fraternidade Francisclariana - Jequié/BA

Mais fotos no Google Drive e Facebook

CARTA DO SECRETARIADO FRATERNO NACIONAL DA JUFRA DO BRASIL (2016/2019)

“Louvamos ó Maria teu jeito de viver
e a sabedoria de quem tenta entender
Louvamos teu silêncio, teu jeito de falar.
Louvamos ó Maria, teu modo de pensar,
Teu jeito feminino de seguir ou liderar.”
(Louvação a Maria – Pe. Zezinho,scj)


Estimadas irmãs e irmãos da Juventude Franciscana do Brasil. Paz e Bem!!!
É chegado o momento de aprofundarmos nossas reflexões vocacionais e de animar nossas Fraternidades Regionais e Locais para a vivência da Semana de Promoção Vocacional, a PROVOCAE. Este momento é oportuno para que intensifiquemos e concentremos nossos esforços em refletir nossa vocação franciscana e a vida fraterna, bem como semear no coração de tantos/as outros/as jovens a chama do nosso carisma.
A PROVOCAE deste ano deseja ampliar estas reflexões e fazer com que cada Fraternidade possa viver dois acontecimentos importantes da Igreja no Brasil e no Mundo: O Ano Mariano e o Sínodo dos Bispos sobre a Juventude. Por isso, tem o tema: “Maria: exemplo vivo de Fé, Discernimento e Vocação para a Juventude Franciscana” e o lema: "Não fostes vós que me escolhestes, mas fui Eu que vos escolhi" (Jo 15,16a).
Convocado pelo Papa Francisco para acontecer em outubro de 2018, o Sínodo tem como tema “Os jovens, a fé e o discernimento vocacional” e será um importante momento para que a Igreja reflita sobre o modo de acompanhamento aos/às jovens, e possibilitar também que nós possamos ajudá-la a identificar as modalidades mais eficazes para anunciar a Boa Notícia hoje. Desta forma, nossas Fraternidades também terão a oportunidade de ser ouvidas, uma vez que nós iremos colaborar com o Documento de trabalho que será referência para as discussões dos bispos no Sínodo.

Dentro do contexto celebrativo dos 300 anos da aparição da imagem de Nossa Senhora Aparecida, o/a jovem franciscano/a ao olhar para a história da jovem Maria, vê que ela própria progrediu na consciência da sua própria vocação através da meditação sobre as palavras e os eventos que lhe aconteceram, inclusive aqueles que ela não compreendia (cf. Lc 2, 50-51). Somos chamados/as a descobrir na vida de Maria o estilo da escuta, a coragem da fé, a profundidade do discernimento e a dedicação ao serviço (cf. Lc 1, 39-45). Nos seus olhos, cada uma e cada um pode voltar a descobrir a beleza do discernimento, e no seu coração pode experimentar a ternura da intimidade e a coragem do testemunho e da missão (cf.: Documento Preparatório para o Sínodo).
Portanto, para bem viver esta IV PROVOCAE, preparamos os seguintes materiais (BAIXE AQUI) que servirão de apoio para as Fraternidades:
i. Proposta de encontro com jovens, convidando jovens de variadas expressões, lembrando-se sempre de que nossas Fraternidades possam estar abertas cada vez mais para a cultura da escuta, do respeito e do diálogo, ressaltando sempre a acolhida fraterna;
ii. Proposta de encontro para as Fraternidades Locais, onde os/as jufristas possam refletir juntos a sua vivência vocacional do carisma franciscano;
iii. Proposta de encontro para as Fraternidades de Infância, Micro e Mini Franciscanos- IMMF;
iv. Orientações acerca da participação da JUFRA do Brasil na consulta para redação do Documento de trabalho do Sínodo dos Bispos.

Exortamos que as Fraternidades estejam abertas para que o Espírito Santo possa impulsionar a ir além das formas rígidas e padronizadas de anúncio da alegria do Evangelho, percorrendo caminhos de aproximação mais atentos às realidades e características pessoais.
Por fim, pedimos que fiquem atentos/as aos meios de comunicação da Juventude Franciscana do Brasil, pois as redes sociais serão movimentadas com imagens e motivações sobre a PROVOCAE. Esperamos ansiosos/as pelas notícias das experiências vividas em fraternidade, e fotos, vídeos, sugestões e críticas, para o e-mail: jufrabrasil@gmail.com.
Rogamos a Nossa Senhora, sob o título de Santa Maria dos Anjos, que seu exemplo de amor ao Cristo possa nos inundar nesta semana e possamos exercitar ativamente nosso espírito fraterno de acolhida.



Fraternalmente,

Washington Lima dos Santos
Secretário Fraterno (Presidente) Nacional

Muhammed Hochay da Costa Araújo
Secretário Nacional de Ação Evangelizadora

Sabrina Ferreira da Silva
Secretária Nacional de Infância, Micro e Mini-Franciscanos





“Reconciliação – é o amor de Cristo que nos move” este é o tema central da Semana de Oração pela Unidade Cristã deste ano promovida pelo Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (CONIC), que relembra os 500 anos da Reforma Protestante iniciada por Lutero, em 1517, na Alemanha.


No documento, os membros do Conic destacam que a reforma não foi um evento histórico isolado. Ela ocorreu em um contexto de muita efervescência social, política e religiosa.
Fonte: CONIC
A carta reflete ainda que a Semana de Oração que ocorre de 28 de maio a 4 de junho seja uma oportunidade a mais para que as igrejas abordem a questão da reconciliação entre as diferentes denominações cristãs, focando na riqueza e na diversidade que há cada uma delas e, ao mesmo tempo, conclamando para a necessidade de uma união mais plena.
O texto é finalizado convidando os cristãos a retirar os tijolos dos muros que os dividem e a enxergar através das frestas, a beleza do amor de Deus que se expressa na diversidade que pode ser reconciliada.
Leia na íntegra a carta das Igrejas-membro sobre a Semana de Oração.
“Reconciliação – é o amor de Cristo que nos move” é o tema da Semana de Oração pela Unidade Cristã (SOUC) de 2017. Inspirada em 2 Co 5.15-20 a SOUC deste ano traz como mensagem central a afirmação de que é a graça de Deus que nos reconcilia. A relação entre graça e reconciliação é motivada pela celebração dos 500 anos da Reforma, ocorrida em 1517, na Alemanha.
A Reforma não foi um evento histórico isolado. Ela ocorreu em um contexto de muita efervescência social, política e religiosa. Antes de Martim Lutero, outras pessoas falaram sobre a importância de uma reflexão crítica sobre os diferentes papéis desempenhados pela Igreja na sociedade europeia da Idade Média. Recuperar o testemunho cristão como uma expressão da graça de Deus era uma das reivindicações de diferentes movimentos.
O movimento da Reforma não foi isento de conflitos e extremismos religiosos, causados pelos lados envolvidos. É justamente por causa desses conflitos que a palavra reconciliação torna-se central ao refletirmos sobre estes 500 anos.
O tempo em que vivemos, infelizmente, se caracteriza por muitos conflitos. Alguns deles são legitimados em nome de religiões. Também hoje extremismos são provocados. Ressurgem formas antigas de intolerância religiosa. A ideia de disputa por um mercado religioso tende a colocar Igrejas em oposição. Não raras vezes nos vemos como ameaças uns aos outros. Não podemos cair na tentação de nos sentirmos uns melhores do que os outros. Todas as pessoas, independentemente da confessionalidade, professamos a fé em Jesus Cristo, cujo testemunho foi o de reconhecer o próximo naquela pessoa que está distante de mim e com quem, muitas vezes, tenho dificuldades de me relacionar em função dos preconceitos e das desigualdades socais.
O amor de Cristo desperta a reconciliação. Ele não divide e nem constrói muros. As diferentes formas de expressar a fé em Jesus Cristo são riquezas graça. Por isso, em um mundo que tem se caracterizado por diferentes formas de intolerâncias, reafirmarmos que o amor de Cristo nos reconcilia é uma forma de mostrar que as divisões, as brigas, as violências, as desigualdades econômicas, os racismos e preconceitos nos distanciam de Deus e criam muros entre nós. O que nos aproxima é a possibilidade de nos reconhecermos como irmãos e irmãs, em Jesus Cristo é que somos um!
Temos, em nosso país muitos exemplos do testemunho comum entre Igrejas. Os vários espaços de diálogo bilateral, o reconhecimento mútuo do Batismo, a possibilidade de celebrarmos a Declaração conjunta pela Justificação por Graça e Fé, a realização do Dia Mundial de Oração, a Semana de Oração pela Unidade Cristã. Estas experiências não se devem somente ao nosso esforço, mas brotam da fé em Deus que possibilita os encontros e a comunhão.
A Semana de Oração pela Unidade Cristã, nos ajude a caminharmos ao encontro de nossos irmãos e irmãs. Vamos retirar tijolos dos muros que nos dividem. Através das frestas, veremos a beleza do amor de Deus que se expressa na diversidade que pode ser reconciliada. O Deus da reconciliação nos conduza cada vez mais para a unidade!
Dom Leonardo Ulrich Steiner
Secretário Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil
Pastor Dr. Nestor Paulo Friedrich
Pastor Presidente da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil
Dom Francisco de Assis da Silva
Bispo Primaz da Igreja Anglicana
Presbítero Wertson Brasil de Souza
Moderador da Igreja Presbiteriana Unida do Brasil
Dom Paulo Titus
Arcebispo da Igreja Sirian Ortodoxa de Antioquia
Notícia retirado do Site da CNBB

   No dia 2 de abril, o regional NE B2 (JUFRA Sergipe) realizou a sua primeira escola de formação em AE, por ocasião do Ano Santo Mariano que estamos vivendo em toda Igreja do Brasil. 
   Diante disso e também em preparação para o nosso Retiro Espiritual Mariano, reunimos os Secretários (as) de Formação e secretários (as) de Ação Evangelizadora, para um melhor conhecimento sobre a Virgem Maria a partir das Sagradas Escrituras que desde o Antigo Testamento está repleto de figuras, imagens e profecias nas quais tanto o Magistério como os Padres da Igreja, os seus Doutores e Santos reconheceram o anúncio daquela que deu ao mundo o Messias esperado. Do “Gênesis” ao Livro do Profeta Isaías, e até aos últimos profetas da Primeira Aliança, prefigurações e outros anúncios, respeitantes à Virgem Mãe do Salvador. Além de um momento de formação, foi também um encontro celebrativo, onde aprendemos a rezar com o silêncio de Nossa Senhora, a meditar a poderosa oração da Ave-Maria, tendo assim Maria como nosso modelo de oração e nossa intercessora


Denilson Jesus dos Santos
Secretário Regional de Ação Evangelizadora
Regional NE B2
JUFRA Sergipe